Tudo pronto para a XXIV Convenção Bancária do Panamá

julio 20, 2015 1:50 pm Publicado por 381 Comentarios

A partir do dia 22 até o dia 24 de julho mais de 300 representantes da banca nacional e internacional do Centro Bancário Internacional do Panamá estarão presentes na XXIV Convenção Bancária Anual que terá lugar no Hotel Sheraton desta cidade, onde analisarão diversos temas de importância da atualidade relacionados com o setor.

A atividade organizada pela Associação Bancária do Panamá (ABP) será inaugurada pelo presidente do grêmio, Jaime Moreno. Nesta sessão plenária da primeira manhã será apresentada uma conferência sobre “Governo corporativo” ministrada pelo secretário geral da Superintendência de Bancos do Panamá, Gustavo Villa.

Em seguida o titular do Ministério da Economia e Finanças, Dulcidio De La Guardia, falará sobre a “Visão, planejamento, objetivos e prioridades, principalmente de carácter econômico, financeiro, orçamentário e de investimentos do Governo”. Essa primeira sessão plenária se encerrará com a conferência da presidente do Conselho Nacional da Empresa Privada (CONEP) e diretora Executiva de Relacionamento, Elisa Suárez de Gómez, com  “Competitividade no Panamá: desafios e propostas do setor privado”.

Na quinta-feira 23 de julho a abertura da segunda sessão plenária estará a cargo do presidente do Banco Colpatria da Colômbia, Santiago Perdomo Maldonado, que tratará de um importante tema da atualidade: “A importância da redução do uso de efetivo para a economia”. Na seqüência, a diretora geral da sede no México da Câmara Internacional de Comércio, Yesica González Pérez, abordará o papel deste órgão como “Chave de acesso ao mundo inteiro para os empresários e instituições financeiras”.

No meio da manhã, a ABP tem programada a conferência “Tendência de governo corporativo e risco integral da banca panamenha”, cujo orador será Arturo Carvajal, sócio da Assessoria da Consultoria KPMG.

À tarde teremos vários encontros simultâneos que incluem conferências e mesas redondas com temas como governo corporativo, ética e moral nas instituições bancarias e financeiras, custodia de ações ao portador, impacto da Lei 23 contra a lavagem de dinheiro em bancos, seguradoras e financeiras, o rol do sistema de transferências via swift quanto ao seu cumprimento pelo banco co-responsável, perspectivas de recursos humanos com relação ao Governo corporativo, entre outros, organizados por diversas comissões permanentes de trabalho da Associação nas áreas de Recursos Humanos, Jurídica, Usuários de Swift e Auditoria Interna e Administração de Riscos.

A última sessão plenária desta XXIV Convenção Bancária do Panamá, na manhã de sexta-feira 24, abre com o painel sobre “Panamá e a OCDE”, no qual participam advogados e especialistas no assunto, Gian Castillero, Adolfo Linares, Carlos Ernesto González Ramirez e Luís Laguerre. A seguir, em outra mesa redonda, serão analisadas as “Fortalezas, oportunidades, pontos fracos e ameaças do Centro Bancário Internacional e do Sistema Bancário Nacional a curo, médio e longo prazo”, em que participam os banqueiros Raúl Alemán Z, vice-presidente executivo e gerente geral do Banco Central representando os bancos de capital panamenho; Aimeé Sentmat de Grimaldo, presidente de Banistmo S.A. representando os bancos latino-americanos e Antonino Sauve, gerente geral de BSI Bank (Panamá) S.A. representando os bancos europeus. O moderador será Paul Smith A., ex-presidente da Junta Diretora da ABP. Atuará como relatora Marisol E. Sierra, vice-presidente de Operações e Administração do Metrobank S.A.

À tarde há programado um painel organizado pela Comissão de Risco da Associação Bancária do Panamá com o tema “Risco de liquidez sob os padrões Basiléia III” com os especialistas estrangeiros de experiência reconhecida como Rick Trent, membro do Instituto Interamericano de CPA com uma visão global e Luís Torres, economista e diretor da Chatam Financial Corporation, de Colômbia, sobre as aplicações metodológicas para a administração de riscos.

A BANCA PANAMENHA 

No país operam 49 entidades bancarias.

No Panamá há dois bancos oficiais, 29 bancos privados estrangeiros e outros 18 bancos privados panamenhos.

Baseado em dados da Superintendência até maio de 2015, os ativos do Centro Bancário Internacional alcançaram US$ 112.282 milhões

Fuente: http://laestrella.com.pa/

 

 

Ernesto Chong de León, Ernesto Emilio Chong Coronado

Categorizado en:

Esta entrada fue escrita porWebmaster PMC Asset Management

381 comentarios

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.