Mega-construções alcançam US$ 5.200 milhões no Panamá

marzo 9, 2016 2:30 pm Publicado por 1.528 Comentarios

La inversión en la Línea 2 del Metro de Panamá es de $2,100 millones. / Archivo | La Estrella de Panamá

A Linha 2 do Metrô, a quarta ponte sobre o Canal, a renovação de Colón e o segundo terminal do Aeroporto Internacional de Tocumen são os maiores investimentos que se realizarão entre 2016 e 2019.

Os projetos de maior envergadura no Panamá já estão em processo de licitação ou caminhando e compreendem investimentos da ordem de US$ 5.200 milhões para o período 2016/2019, apontou o Ministro da Economia e Finanças, Dulcídio De La Guardia.

Somam-se a essas iniciativas, os investimentos nas terceira e quarta linhas de transmissão de energia como os maiores nos próximos quatro anos.

Ao contrário da opinião pública, que critica a lentidão do governo na execução das obras, o Ministro da Economia e Finanças explicou que os projetos avançam e que os investimentos para a linha 2 do Metrô do Panamá são de US$ 2.100 milhões e espera-se uma uma demanda de 240.000 usuários/dia.

A gigantesca obra estatal foi licitada e aprovada em 2015 e os trabalhos tiveram início em outubro de 2015.

No caso da Linha 3 do Metrô, o convênio de fornecimento celebrado entre o gos governos do Panamá e do Japão inicia suas operações em 2017.

Segundo La Guardia, o investimento para a quarta ponte sobre o Canal do Panamá é de US$ 1.400 milhões e esta estrutura estará integrada com a linha 3 do Metrô. Acrescentou que já se iniciou o processo de licitação para a administração técnico do projeto.

Detalhou que a transformação de Colón é um projeto de governo que tem um custo de US$ 500 milhões e beneficiará 25.000 famílias e os trabalhos já tiveram seu início em 2015.

As terceira e quarta linhas de transmissão elétrica custarão cerca de US$ 800  milhões, sendo US$ 350 milhões para a terceira linha e mais US$ 450 milhões para a quarta, com uma capacidade de 1.800 megawatts”.

A respeito do segundo terminal do Aeroporto Internacional de Tocumen, o funcionário ressaltou que seu custo alcança US$ 800 milhões e que acrescentará 20 pontes de embarque que duplicarão a capacidade atual. “A obra apresenta cerca de 60% concluídos”, assinalou.

Ainda segundo De La Guardia, como conseqüência direta desses investimentos do governo e do desenvolvimento sustentável do país nasceram novas oportunidades de negócios em todos os setores. Por exemplo, disse, em Turismo atingimos 81 cidades em vôos diários para América e Europa. “Estima-se que Tocumen duplicará seu tráfego para 15 milhões de passageiros em 2019”.

Para o Ministro, a mineração é outra das novas oportunidades de negócio e a mina de cobre que a First Quantum constrói é o melhor exemplo disso. Com este projeto, que se deve completar em 2017, busca-se recolher 50.000 milhões de libras de cobre, 12 milhões de onças de ouro e 250 toneladas de molibdênio.

Da mesma forma lembrou que, em matéria de energia, Chevron e Vopak estão melhorando e aumentando o terminal de combustíveis no lado Atlântico do Canal do Panamá, adicionalmente aos dois terminais de gás que serão construídos: o da AES, com investimentos de US$ 800 milhões, que entrará em operação em 2018 e o de Gas to Power Panamá, com US$ 900 milhões de investimento e entrando em operação em 2019.

Ainda destacou La Guardia a inversão de US$ 1.000 milhões no projeto hidroelétrico Chan III em Bocas del Toro, cujo funcionamento está previsto para 2019.

Em matéria de logística, estão pendentes, segundo o ministro, um novo porto no Pacífico e o investimento de US$ 450 milhões que a PSA realiza e se somam à ampliação do Canal do Panamá, uma obra que abrirá novas oportunidades para a logística de valor agregado.

Neste sentido, o Presidente da Câmara Americana de Comércio do Panamá, Aristides Chiriatti, manifestou que o Panamá necessita abrir o mais rápido possível o Canal ampliado para seguir posicionado como hub logístico.

Fonte: http://www.laestrella.com.pa/

Categorizado en:

Esta entrada fue escrita porWebmaster PMC Asset Management

1.528 comentarios