Cidade do Panamá, San José e Heredia entre as Top 10 cidades do futuro

julio 22, 2015 2:44 pm Publicado por 1.649 Comentarios

dt.common.streams.StreamServer

Um ranking do Financial Times coloca estas cidades da América Central entre as melhores cidades do futuro na América Latina por sua capacidade de atrair investimentos e gerar riqueza para seus habitantes.

Pode ser que nos filmes de ficção contem que as cidades do futuro há carros voadores, modernos sistemas de transporte, mas para o terceiro ranking do Financial Times as Cidades do Futuro são as que geram desenvolvimento econômico, atraem investimentos, destacam-se em inovação e têm capacidade de propiciar qualidade de vida.

No conjunto, São Paulo manteve o primeiro lugar como cidade do futuro por sua capacidade de atrair mais de 500 projetos entre 2010 e 2014 e de atrair companhias como Boeing ou a alemã Deutsche Post.

San José, Cidade do Panamá e Heredia são as três cidades da América Central que aparecem no ranking de cidades do futuro na América Latina produzido pelo Financial Times. San José também se destaca por seu potencial econômico junto da chilena Antofagasta. Ademais, a capital da Costa Rica também se sobressai por sua estratégia de investimentos, junto com Richmond, Québec e Ottawa.

Heredia foi o único local pequeno a ingressar nas Top 10 este ano. O Financial Times assinalou que Heredia atrai 9,2 projetos de investimentos para cada 100.000 habitantes, o terceiro mais alto índice na América Latina. Mais de 35% da IED da cidade está no setor de serviços, cerca de 21,43% no setor de software e serviços de TI.

Aos investidores atraem as zonas francas e parques industriais. As zonas francas da Intel, Global Parky Ultrapark são algumas das nove zonas francas e parques industriais que a cidade oferece. Para o diário financeiro, Heredia é uma opção rentável, de custo eficiente para os investidores pelos seus salários competitivos, aluguéis, eletricidade barata e baixos custos para importar e exportar bens. Estes fatores incidiram para que Heredia se destacasse na sétima posição do ranking das cidades pequenas com o maior fator de Custo Eficiência.

A cidade portuária de Antofagasta, no norte do Chile, avançou para a nona posição do ranking deste ano pelo seu alto PIB per capita (US$ 52.272), o terceiro mais alto da América Latina entre as cidades estudadas. A cidade é rica em história de mineração, em especial cobre e minerais não metálicos, a maior parte de seu desenvolvimento se baseia nestas indústrias. Ademais apresentou um aumento no número de patentes registradas entre 2010 e 2013.

O Financial Times assinalou que a América Latina regrediu entre 2012 e 2014 cerca de 9,79% em razão da instabilidade econômica dos países, assim como as oscilações civis e políticas que têm minado a confiança dos investidores.

A região tem alta dependência do petróleo. Com a queda de preços entre 2015 e 2015, também houve incertezas em muitos países da América Latina. Além disso, o FT alerta que, com muitas eleições presidenciais em vista antes de 2017, é necessário motivar o crescimento que será vital em locais onde a produção de energia está em queda e inibe o aporte de ingressos nas cidades.

Fonte: http://www.estartegiaynegocios.net/

 

Ernesto Chong de León, Ernesto Emilio Chong Coronado

Categorizado en:

Esta entrada fue escrita porWebmaster PMC Asset Management

1.649 comentarios